SEO On-Page

Artigo publicado por Daniel Pinheiro

O pessoal da SEOmoz publicou um artigo muito interessante sobre otimização on-page, e venho trazer essas informações aqui para a BrasilSEO.

Como todos que trabalham com SEO devem saber, para um bom posicionamento nos mecanismos de busca é necessário tanto um trabalho On-Page quanto Off-Page. Neste post será abordado algumas das técnicas utilizadas para otimização On-Page.

Primeiramente deve-se ser feita a escolha da palavra-chave a ser trabalhada na página. O Google provê ferramentas que mostram dados a respeito de keywords, como o Keyword Tool, o Google Trends e o Google Insights, que auxiliam bastante para se ter uma noção sobre as pesquisas que são realizadas.

Tendo sido feita a escolha da palavra-chave, deve-se partir para os próximos passos. Durante a escrita de um conteúdo, deve-se citar a palavra que está sendo trabalhada, bem como suas variações. Repetir a palavra muitas vezes (Spammar) não é uma boa idéia, visto que os algoritmos dos buscadores já reconhecem esta técnica, então escreva textos de qualidade, que as palavras chave irão aparecer naturalmente. De acordo com estudos realizados pelo pessoal do SEOmoz, em uma página onde pretende-se trabalhar a palavra-chave “chocolate donuts”, devemos ter um conteúdo com aparições dessas palavras mais ou menos desta forma:

seo onpage

Tags de Cabeçalho <head>

Otimização da Tag de Título <title>: Atualmente uma das mais importantes otimizações On-Page, a tag de título deve trabalhar a keyword que será abordada no conteúdo da página, visando sempre aparecer o quanto antes na frase.

Meta Description: Não é utilizada pelos maiores buscadores para posicionamento, porém ela deve ser trabalhada para atrair os usuários. Na maioria das vezes os snippets apresentados nos resultados são as meta descriptions. Trabalhe bem, fazendo um resumo do que a página irá apresentar para o usuário.

Meta Keywords: Não é utilizado por nenhum mecanismo de busca para posicionamento. Apenas o Yahoo! a utiliza, e para a descoberta de sites. Com o acordo entre Microsoft e Yahoo!, esta função pode deixar de existir.

Rel=”Canonical”: Uma das tags mais perigosas e complexas de se usar, serve para previnir conteúdo duplicado. Deve ser empregada somente se necessário, leia mais nesse post sobre a tag rel=”canonical”.

Otimização na URL

Tamanho: Urls curtas tem uma tendência a apresentar melhores resultados do que urls extensas, bem como são mais amigáveis aos olhos de usuários.

Palavra-chave: Uma dica é ter a palavra-chave presente na url do site. Caso ela não apareça no domínio, você pode criar páginas que trabalhem variações dessa palavra, como por exemplo www.meusite.com/chocolate. Palavras-chave que aparecem antes na url também ajudam um site a se posicionar melhor do que sites com urls extensas, como exemplo www.meusite.com/folder/subfolder/chocolate.

Separadores de Palavras: O hífen é o mais usado dentre os separadores de palavras. Apesar de dizerem que o underscore apresenta o mesmo resultado, o hífen é mais recomendado para ser utilizado. Veja o que o Matt Cutts fala sobre  a diferença entre underscore e hifen.

Subdominios: São bons por possibilitarem a inserção de palavras chave no início da url. Porém os engines estão balanceando o peso dos links em favor das pastas ao invés dos subdominios. Ou seja, passa a ser melhor criar uma url do tipo meusite.com/seo, ao invés de seo.meusite.com

Body Tags

Repetições da palavra-chave: Não se sabe ao certo quantas vezes uma keyword deve aparecer em um conteúdo, e não existe uma regra exata para isso. Calcula-se em média, que uma palavra deva aparecer entre 2 a 3 vezes em páginas pequenas, e de 4 a 6 em páginas mais extensas.

Variações da Keyword: É sempre indicado trabalhar com variações da palavra-chave, utilizando uma ou duas variações por conteúdo.

Tag H1: Antigamente a tag H1 apresentava grande relação com bons posicionamentos, mas atualmente percebe-se uma diminuição da importância desta tag.

Tags H2, H3, H4…: Menos importantes que a tag H1, essas tags devem ser utilizadas apenas quando necessárias, não influenciando muito no SEO de uma página.

Alt tag: Surpreendentemente a alt tag apresenta uma forte relação com bons rankeamentos. O ideal é sempre trabalhar a palavra-chave da pagina nesta tag.

Nome do arquivo imagem: Importante para se obter tráfego por imagens, indicado usar nomes relacionados com a keyword do conteúdo.

Bold/Strong: Apresenta um peso muito pequeno no que diz respeito a SEO, indicado para se usar apenas nas palavras-chave do conteúdo.

Itálico: Apresenta quase o mesmo peso que bold/strong, ou até um pouco superior, sugerido para ser usado em keywords/termos que são trabalhados em um conteúdo.

Comentários: São ignorados pelos buscadores.

Links Internos

Número de links internos: Uma linkagem interna bem estruturada proporciona um melhor posicionamento das páginas, bem como uma rapidez maior na indexação das páginas, facilitando a navegação tanto para o usuário quanto para os robôs.

Links no Conteúdo x Links Permanentes: Ao que parece os buscadores estão reconhecendo padrões, ou seja, links que aparecem em todas as páginas, como menus no cabeçalho, menus laterais e no rodapé, e assim, dando maior relevância para links que aparecem no conteúdo. Não se esqueça que o Google conta apenas o primeiro link que ele encontra para uma página.

Arquitetura da página

Localização das palavras-chave: É indicado que a palavra-chave seja citada o quanto antes no conteúdo, acreditamos que entre as 50 a 100 primeiras palavras. Ao que parece os mecanismos de busca preferem páginas que trabalham as palavras-chave que aparecem antes no texto, do que as que aparecem mais para o final.

Por que nem sempre essas regras são obedecidas?

Durante a criação de uma página, nem sempre seguimos todos os passos para uma otimização ideal, às vezes por esquecer de algumas regras, ou talvez por ignorá-las. A otimização on-page, é apenas uma de várias peças necessárias para um bom rankeamento nos mecanismos de busca.

google rankings

Boas práticas para um bom posicionamento

1 – Acessibilidade: Uma boa estruturação de um site provê facilidades para a navegação de um usuário, e também dos robôs, que conseguirão acessar todo o conteúdo, e indexar mais rapidamente as páginas.

2 – Conteúdo: Como todos já devem saber, conteúdos originais e de alta qualidade são de extrema importância para as search engines, pois assim atraem links externos, aumentando a relevância do site.
3 – Elementos Básicos: Nunca esquecer de trabalhar a palavra-chave nos títulos, urls e links externos.
4 – Usabilidade: Uma boa interface e fácil navegabilidade fortalece um site, aumentando a conversão e atraindo citações externas, gerando um maior tráfego.
5 – Marketing: Uma boa campanha de marketing é sempre indicada, pois atrai usuários e links externos, porém não confunda marketing com spam, pois este ao invés de ajudar, pode atrapalhar e sujar a imagem de um site. Uma campanha dessas deve ser bem estudada e estabelecer os objetivos a serem atingidos, bem como o público alvo.
6 – Otimização on-page: Todas as práticas descritas acima ajudarão a conseguir boas posições nas SERPs.

Concluindo

Não existe uma fórmula mágica para aparecer entre os primeiros nas buscas, o que existe é um trabalho duro por trás de tudo. Gastar um bom tempo com geração de coisas novas sempre trará bons frutos.

Para mais dicas de SEO On Page veja as apresentações do Cassiano abaixo:

 

2 comments on “SEO On-Page
  1. Tenho pesquisado bastante sobre o assunto e otimização de Sites/Blogs e tenho visto artigos muito antigos e já ultrapassados e que não se aplicam hoje depois das atualizações do Google. Os presentes artigos são atuais e, portanto, muito úteis. Quero registrar meus parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>